domingo, Agosto 20, 2006

Riscos no Trabalho

Como prometido aqui, começamos uma série de posts relacionados com situações de risco encontradas por este país fora. As fotos analisadas terão várias origens. Esta é do Abrupto, sendo da autoria de Gil Coelho, como referido no blog.

Tentando olhar para esta situação de trabalho do ponto de vista da Segurança e Saúde no trabalho, começarei por descrever a situação de trabalho, depois, identificarei as situações de risco e quais os acidentes que poderão ocorrer e, por fim, recomendarei algumas medidas de prevenção.

Descrição da situação de trabalho
Como se pode observar na foto, trata-se da reparação do telhado de um edifício. Este edifício, apesar de não ser possível vê-lo na totalidade, parece ter pelo menos 2 pisos. O acesso ao telhado é feito por uma escada, que parece ligar o rés do chão ao telhado. A altura do telhado deverá ser aproximadamente de 8 / 9m. Os materiais são transportados para o telhado por uma grua.

Riscos
Queda em altura
A situação mais óbvia é a possibilidade de queda em altura durante a execução do trabalho. É claro que nenhum dos 3 trabalhadores têm qualquer protecção contra quedas. A possibilidade de a qualquer deles lhes esbarrar um pé é grande. E cairão de 8 ou 9 m de altura, uma altura considerável.

A segunda situação que merece nota, é a possibilidade de queda em altura, quando sobem para o telhado. A escada não parece estar solidamente atada, havendo a possibilidade que caia. Para além disso, na altura da passagem da escada para o telhado, sem qualquer apoio para se segurarem, é fácil que qualquer dos trabalhadores caia.

Queda de objectos
A terceira situação, é a possibilidade de queda de materiais do telhado, constituindo este facto um risco para as pessoas que circulam em baixo junto ao edifício. Não existe qualquer protecção contra queda de objectos.

A quarta situação, relaciona-se também com queda de objectos, mas neste caso da grua. O equipamento que usam para colocar o material não parece ser fechado, possibilitando a queda do material.

A quinta situação relaciona-se com a queda da própria grua. Estará bem escorada?

Riscos eléctricos
Na imagem, vêem-se 2 cabos, que passam por cima das varandas e dirigem-se ao telhado junto à escada. Serão cabos eléctricos? Estarão em perfeito estado de conservação?

Riscos ergonómicos
A postura de trabalho, claramente debruçados na operação de colocação de telhas, poderá acarretar problemas do foro musculo-esqueléctico, como sejam as lombalgias de esforço.


Para além destas situações de risco, outra situação merece atenção: apenas um dos trabalhadores utiliza capacete, mostrando claramente a falta de supervisão na obra.

Recomendações
Nesta situação, vê-se claramente a falta de dois importantíssimos factores na gestão da Segurança:
- Empenhamento das chefias da empresa na definição de normas de segurança claras e em garantir o seu cumprimento, bem como na garantia dos meios de protecção necessários para a execução do trabalho em condições de segurança;
- Apoio técnico à gestão da empresa na definição dos meios de protecção necessários e de normas de segurança adequadas.

Não é possível perceber, apenas a partir da imagem, se são as chefias que, bem aconselhadas por profissionais de segurança, não têm o empenhamento para implementar as recomenções destes, ou se, pelo contrário, são os profissionais de segurança que não dão o apoio necessário a chefias empenhadas em garantir as condições de trabalho adequadas. Provavelmente, é um misto das duas situações: nem chefias empenhadas, nem apoio técnico adequado.

As duas primeiras situações a resolver são as apontadas acima (sendo também as mais difíceis de resolver), visto todas as que irei referir a seguir são resultado e sintomas desta falta de empenhamento das chefias e do apoio técnico necessário:

- Colocar sistema de protecção contra quedas em altura e quedas de objectos, por exemplo, guarda corpos (com rodapés) ou redes de protecção. Se não for possível, ;

- Dotar a obra de acesso ao telhado adequado, constituído, por exemplo, por andaime com escadas incorporadas;

- Substituir o equipamento de transporte de cargas por um fechado, que evite quedas de materiais;

- Garantir a subida de cabos para o telhado de forma mais adequado, por exemplo, com esteira provisória de cabos, evitando assim que possam ser deteriorados e garantir que estes estejam em boas condições, sem o condutor à vista. A instalação eléctrica também deverá ser adequada, tendo dijuntor de 15 mA (não tenho a certeza se serão 15 ou 30 mA);

- Definir área de proibição de passagem, ao nível do solo, perfeitamente delimitada e sinalizada, de modo a garantir que ninguém passe em zona de risco;

- Definir o equipamento de protecção individual necessário, pelo menos, capacete, calçado com sola e biqueira de aço e luvas de protecção mecânica, e garantir que seja efectivamente utilizado;

- Garantir que a grua está devidamente fixada e que é inspeccionada, bem como todos os cabos e eslingas necessários à movimentação de cargas;

- Por fim, garantir que todos os trabalhadores têm a formação necessária, especialmente, quem maneja a grua.

Trata-se da análise possível com os meios que tinha ao meu alcance, que eram apenas a foto. Provavelmente, é simplista em alguns pontos, errada em outros, mas foi a possível. Comentem, discutam e acrescentem o que quiserem. Basta enviar um mail.

2 comentários:

Luis K. W. disse...

Excelente iniciativa!
Fico à espera de mais exemplos destes, que são muito formativos.
Só um comentário quanto à postura ergonómica: os trabalhadores que andam vários dias a trabalhar em telhados queixam-se frequentemente de dores musculares nas pernas, mas isso deve-se à inclinação da superfície em que são obrigados a trabalhar. Não me lembro de se queixarem das costas.
Fico à espera de mais artigos.
Cumprimentos
luis_k_w@clix.pt

Priscila disse...

Mais exemplos Please!!